Tipos de fundações: como definir a melhor para sua obra?

Tipos de fundações: como definir a melhor para sua obra?

Para que uma construção mantenha-se no local correto, sem que haja instabilidade ou rupturas, é fundamental que se coloque um bom alicerce. E é essa justamente a maior finalidade das fundações de uma obra. Ou seja, as estruturas são responsáveis por distribuir a carga do material na área edificada e, portanto, precisa ser capaz de aguentar as tensões. Para determinar a alternativa apropriada para o projeto, deve-se levar em consideração sobretudo a resistência das fundações escolhidas. Além disso, o solo tem de apresentar a rigidez e a resistência requeridas para que ele não se rompa e nem se deforme. Negligenciar alguns dos aspectos mencionados pode comprometer a segurança da edificação.

Sendo assim, para decidir os melhores tipos de fundação é imprescindível calcular os esforços exercidos sobre a construção, bem como as particularidades do solo e demais aspectos que compõem essas estruturas. A seguir, explicaremos quais são as principais opções de fundações disponíveis no mercado atualmente. Confira!

tipos de fundaçõesCaracterísticas dos dois tipos de fundação

Em linhas simples, há duas categorias de fundações: as superficiais (diretas ou rasas) e as profundas, conforme a ABNT NBR 6122/2010.

 

Fundações superficiais

Refere-se aos tipos de fundações em que a carga da construção é transferida para o terreno, processo que acontece majoritariamente pela distribuição da pressão sob as bases dos elementos. Como utiliza menos material e não requer maquinários, o custo desse tipo de fundação é mais baixo em relação aos modelos profundos.

Nesse caso, a profundidade de escavação é de até 3 metros e o seu uso é indicado para cargas leves, como em residências. Outra recomendação é que o solo seja firme. Entre as partes que constituem as fundações superficiais estão:

Sapata: termo que descreve o elemento de concreto armado, normalmente de formato quadrado, trapezoidal ou retangular, dimensionado para que as tensões inferidas nele sejam absorvidas pela armadura. Como resultado, todo o peso não recai sob o concreto da construção. Portanto, a eficácia desse tipo de fundação depende das resistências verificadas nas camadas mais superficiais do terreno.

Na sapata corrida, a carga é repartida de maneira linear pela peça. Por sua vez, a sapata associada conta com diferentes pilares cujos centros não estão alinhados;

Radier: similar a uma placa que se estende por toda a área da obra, o radier recebe a carga em sua totalidade e a distribui pelo terreno. Por causa da maior quantidade de concreto, a hidratação ou “cura” do elemento nas primeiras 72 horas previne a perda de resistência e o surgimento de fissuras.

Bloco de fundação: elemento que pode possuir base quadrada ou retangular com elevação parecida com um pedestal. Ele consegue absorver a carga sem demandar uma armadura;

Viga de fundação: componente comum em diversos pilares e que apresenta centros em alinhamento.

 

Fundações profundas

Os tipos de fundações profundas passam a carga para o terreno por meio de sua base, de sua superfície lateral ou por uma associação das duas. São empregadas em particular em projetos grandes, como em prédios altos, onde a força dos ventos é significativa. Também mostra-se útil para pontos nos quais o solo apenas oferece a resistência suficiente em maiores profundidades, acima de 3 metros – com algumas exceções. Os artigos mais usuais são: as estacas, os caixões e os tubulões;

Estacas: estrutura efetuada totalmente por aparelhos ou ferramentas, o que dispensa a descida do operário em qualquer etapa da montagem. As estacas são de elementos compridos, mas com seções transversais pequenas. Quanto ao material, elas podem ser produzidas em aço, madeira, concreto moldado in loco, concreto pré-moldado ou misto. As junções entre os segmentos de metal exigem atenção especial, pois o encaixe mal feito compromete o suporte da estrutura. Já as estacas de madeira podem se desintegrar com a água, então observe a variação os níveis do lençol freático.

Caixões: os caixões possuem formato de prisma, sendo concretados na superfície e colocados com o auxílio de escavação interna. A base pode ou não ser alargada, de acordo com as características do projeto;

Tubulões: estrutura cilíndrica pensada para as fundações profundas. Pelo menos na fase final, é necessário que o trabalhador desça para executar a instalação. Em geral, são fabricadas em aço ou concreto, com ou sem revestimento. As lojas oferecem opções com base alargada ou não para melhor atender o setor. Os tubulões podem ser feitos sob ar comprido e a céu aberto.

É possível concluir que existem muitos fatores envolvidos na decisão dos tipos de fundações para cada obra. O ideal é que tanto o construtor quanto os responsáveis técnicos discutam com os clientes os prós e contras de cada modalidade.

Outras Publicações

×