4 dicas de boas práticas de manejo de curral

4 dicas de boas práticas de manejo de curral

As boas práticas de manejo de um curral estão ligadas, basicamente, à compreensão da finalidade desse tipo de estrutura. Não se trata meramente de uma estrutura criada para manejar e acomodar gado. Ao lado do aspecto meramente funcional devem ser consideradas questões como bem estar dos animais e produtividade da criação.

O curral é, na prática, uma estrutura para condução, contenção, recepção, acomodação e separação dos animais. Deve-se considerar cada uma das etapas e observar se atendem às condições esperadas.

Sabemos que currais mal projetados e construídos sem manutenção tornam o manejo difícil. Animais que convivem com essas condições estão mais sujeitos a estresse e lesões.

É essencial que quem lida com animais conheça seus comportamentos e seja capaz de antecipar soluções que garantam o bem estar, projetando estruturas adequadas ao manejo e ao fluxo do gado.

Leia também:[ Saiba como iniciar uma criação de gado ]

Afinal de contas, já se foi o tempo em que o homem do campo se limitava a manter as coisas como estavam. Hoje, não se trata apenas de criar gado, mas de entregar o melhor produto, de competir com outros criadores pelos melhores preços e melhores clientes, não é verdade?

Por essa razão é preciso adotar boas práticas de manejo.

boas práticas de manejo
Boas práticas de manejo de curral – Quatro dicas

Abaixo, relacionamos quatro boas práticas de manejo de curral para você adotar em sua fazenda, que trarão benefícios como redução de custos e riscos, ganho de tempo, melhora de desempenho do gado e dos funcionários da fazenda.

Tudo isso movido por uma movimentação mais inteligente do gado no interior do curral.

1 – Conheça o comportamento dos animais

Assim como ocorre com as pessoas, só é possível oferecer as melhores condições aos animais se formos capazes de identificar seus comportamentos.

Ao identificar os fatores que interferem no comportamento dos animais é possível se antecipar a uma série de problemas. Por exemplo, sabe-se que os animais têm dificuldade em diferenciar uma sombra projetada no chão de um buraco.

Como consequência, é grande o risco de o animal empacar ou pular, podendo se machucar.

2 – Estimular e induzir novos conhecimentos

O caso acima relata um conhecimento que muitos profissionais não possuem e que poderiam ajudar no manejo e na busca de soluções.

Cabe, nesse caso, ao proprietário estimular que seus funcionários adquiram novos conhecimentos. É preciso fazê-los sentirem que adquirir novos conhecimentos trarão melhorias no desempenho e que eles serão reconhecidos por isso.

3 – Busque soluções para neutralizar os riscos

Voltando ao caso da sombra, conhecer o problema aproxima da solução. Basta fazer um estudo da posição das estruturas do curral e do ângulo do sol nas diferentes fases do dia. Com esse conhecimento é possível posicionar melhor as estruturas e reduzir os contrastes que levam os animais a sugerirem estar diante de uma ameaça, que, na verdade, é inexistente.

Um outro problema que pode ser solucionado é o das estruturas com curvas muito acentuadas, com ângulos inferiores a 90 graus. Os animais possuem o corpo alongado, o que gera dificuldade aos mesmos na hora de manobrar dentro dessas estruturas. A solução é construí-las com curvas suaves e arredondadas

4 – Invista no projeto

Parece bem claro que há uma quantidade enorme de variáveis a serem consideradas na hora de construir ou reformar o curral. Por isso, é preciso dar muita atenção à elaboração do projeto, que deve levar em conta todas essas variáveis e as peculiaridades da fazenda e do tipo de gado.

Um bom estudo levará a um projeto do tamanho da necessidade da fazenda, sem desperdício e investimentos perdidos em projetos mal elaborados.

A escolha do local para a construção, as dimensões do curral e criação de estruturas adequadas às boas práticas de manejo devem levar em conta a expectativa com o projeto, qual o tamanho da área disponível para a construção da estrutura, quantos animais e com que frequência serão manejados, quais as atividades a serem realizadas, as características do terreno, etc.

Conclusão

É preciso que se leve em conta para que as boas práticas de manejo sejam prioridade, que o dia a dia de um trabalho de criação de gado envolve animais e pessoas.

Oferecer-lhes as melhores condições de trabalho e segurança não é nenhum favor. Além de ser uma obrigação, é também, para o contratante, um ótimo investimento, que pode aumentar a lucratividade do negócio, que é o que todos buscamos, afinal.

Outras Publicações

×