Carinho no manejo de bezerros leiteiros: é possível?

Carinho no manejo de bezerros leiteiros: é possível?

Falar em carinho no manejo de bezerros leiteiros pode ser extravagante para alguns, o que, por si só, já é uma pena, basicamente pelo fato de que os animais são seres vivos e merecem da parte do ser humano todo respeito e consideração.

Essa é uma consciência que está consolidada em muitas pessoas, que se confunde com a consciência cósmica e ambiental, mas não é exatamente disso que estamos falando, muito pelo contrário.

O tema desse artigo está ligado a como o manejo racional pode influenciar os resultados econômicos de uma fazenda de criação e produção. O carinho no manejo de bezerros leiteiros é tão somente consequência da compreensão de como se comportam os animais e de como esse conhecimento deve ser usado para reduzir o índice de mortalidade dos bezerros, que muitos fazendeiros afirmam ser alarmante.

Um dos fatores que levam a esses índices altos de morbidade e mortalidade é o estresse, um dos inimigos mais temíveis da pecuária, pois está ligado a acidentes, lesões, perda de tempo, mortalidade e perda da qualidade do produto entregue ao mercado, seja no que diz respeito ao gado de leite ou de corte.

Uma vaca de cria, para ser considerada eficiente em termos de procriação precisa parir um bezerro por ano. Sem isso, a cria deixa de ser lucrativa.

O problema é que parir um bezerro por ano não é suficiente diante de um quadro em que a mortalidade é tão alta. Quem é do ramo sabe que, inclusive, uma vaca de cria prenha custa mais caro do que aquela que não concebeu, devido aos cuidados, sobretudo com alimentação. Sem contar que mesmo aqueles bezerros que adoecem e não morrem geram um custo com tratamento, sobretudo com medicamentos.

manejo de bezerros leiteirosConhecimento e manejo racional trazem grandes benefícios

O manejo de bezerros leiteiros feito de forma racional tende a reduzir drasticamente a morbidade e a mortalidade, reduzindo custo e aumentando receitas para a fazenda. Logo, não se trata de uma questão ecológica, ou algo do gênero, ainda que não se possa negar a relevância dessas questões.

A qualidade no manejo de bezerros leiteiros é a consequência natural do conhecimento. Quanto maior for o conhecimento obtido sobre os animais, melhor o manejador poderá lidar com cada situação, gerando bem estar aos bezerros e melhorando a produtividade da fazenda.

Leia também:[ 4 dicas de boas práticas de manejo de curral ]

As principais causas para a mortalidade dos bezerros são as dificuldades relacionadas ao parto, os cuidados maternais insuficientes e o baixo vigor dos animais recém-concebidos. Em outras palavras, não há como solucionar esse problema se não for pelo entendimento de como se dá o processo, quais as condições mais adequadas ao parto e como deve ser feito o manejo racional.

O manejo correto do parto ajuda a reduzir o estresse da gestante, proporcionando uma gestação mais natural, e cuidados como curar o umbigo da maneira correta, ajudam a reduzir o número de bezerros com bicheira.

Os cuidados no manejo de bezerros leiteiros

São muitos os cuidados a serem tomados para garantir um baixo índice de morbidade e mortalidade, como relacionado abaixo:

  • Cuidados sanitários antes do parto – São os cuidados a serem tomados antes do nascimento, para evitar doenças que causem o aborto, que incluem a realização de exame ginecológico das matrizes eventuais e exames laboratoriais para prevenir doenças como rinotraqueite infecciosa, diarreia viral bovina e outras.
    Com base no resultado dos exames, o veterinário pode montar um calendário de vacinação das matrizes, buscando evitar a perda do bezerro que, caso ocorra, deve ser sucedida pela análise do laboratorial do feto para identificar a causa da morte e a adoção de medidas preventivas para proteger os próximos fetos.
  • Cuidados com o parto – Há condições em que o risco de perda do bezerro é maior, principalmente se as vacas parem de pé, o que pode ser consequência da percepção por parte da mesma de ameaças.Independente dos fatores que levam a essa condição, o uso de pastos exclusivos para as gestantes facilita a rotina de acompanhamento das mesmas e o manejo do parto. Esse deve ser um ambiente calmo, com água, alimentos e espaço abundantes, além de sombras.

    É preciso, também, conhecer o comportamento das novilhas durante o parto. Elas devem ser separadas das demais, pois tendem a abandonar os filhotes, principalmente na primeira gestação.

  • Cuidados com o bezerro – O manejador deve conhecer todo o comportamento dos animais, sabendo identificar aqueles que sinalizam um problema e a necessidade de intervir, como na hora da primeira mamada, em que alguns bezerros precisam de auxílio.O manejo deve se iniciar no dia seguinte ao nascimento e ser feito por dos manejadores experientes, pois após o terceiro dia o animal já se torna ágil e mais difícil de tratar.

Conclusão

Há, enfim, uma série de cuidados que devem ser tomados. O mais importante a ressaltar é que o manejo racional, feito com base no conhecimento, é mais que possível. Trata-se da melhor prática para os animais, para os manejadores e para o criador.

Outras Publicações

×