Entenda tudo sobre a betoneira

Caso queira, você pode ouvir nosso texto, clicando abaixo:

Muitas pessoas conhecem a betoneira como “bitonera” ou “betorneira”, mas a forma correta é betoneira. É um dos equipamentos mais comuns nos canteiros de obra do país, por isso resolvemos explicar um pouco sobre ela, vamos ler?

 

O que é uma betoneira?

A betoneira também é conhecida como misturadora de concreto. É o equipamento que se utiliza para misturar materiais, onde são adicionados areia, cargas de pedra, cimento e água, na dosagem pré-estabelecida que vai ser ordenado de acordo com cada construção.

Essa mistura pode ser alterada (acrescentada ou subtraída) sempre que o engenheiro civil ou arquiteto achar necessário, com diversos materiais como os vários tipos de pedras e cimentos, além de aditivos.

 

Origem da betoneira

Thomas L. Smith, em 1900, foi o primeiro a projetar uma montagem básica com lâminas internas em um tambor cônico, se tornando um dos primeiros misturadores de concreto com registro.

Ele utilizou um motor a vapor para ligar o chassi que era acionado por meio de correntes movidas por esse motor. Além de todo o concreto que misturava, ele utilizou para misturar fertilizantes, fermento químico em pó, areia para fundição e matéria prima para vidros.

Foi Stephen Stepanian que, em 1916, patenteou um misturador motorizado, se tornando o primeiro “caminhão betoneira”, invenção que foi aprimorada apenas décadas depois.

Como utilizar uma betoneira

Não existem muitos segredos quando o assunto é a utilização de betoneira. Basta juntar todos os agregados, cimento, água e os aditivos e ligar o equipamento. 

Uma curiosidade é que a betoneira pode ser utilizada para misturar vários outros produtos, como fertilizantes, por exemplo. Isso ocorre desde a sua invenção, quando Thomas viu que ela seria mais comerciável se pudesse ser utilizada para mais de um tipo de misturas além do concreto.

 

Tipos de betoneira

Há inúmeros tipos de betoneiras no mercado, e elas podem variar de acordo com as características presentes nos equipamentos de sua construção, como a presença ou não de elementos de deslocamento, objetos auxiliares, posição de motores e tipos de elementos de mistura.

Sobre isso, é importante entender as seguintes atribuições:

  • Elementos de deslocamento: nas grandes centrais de argamassa, geralmente a posição da betoneira vai ser fixa. O operador deve possuir as chaves do equipamento, além de ser necessário um botão de desligamento automático.
  • Posições dos motores: os modelos mais compactos possuem os motores atrás do motor, já nos modelos mais convencionais, os motores ficam nos tambores de mistura ou ao lado dos balões.
  • Betoneiras com caçamba acoplada: elas carregam automaticamente através de uma caçamba que fica separada, o concreto e aditivos e os despejam dentro do balão da betoneira, através de dispositivos hidráulicos.
  • Sistemas de mistura: os modelos mais comuns possuem palhetas ou facões que “cortam” a argamassa ou concreto durante a movimentação, em outras, há um conjunto de pás que fazem esse trabalho.

 

E falando da movimentação da betoneira, é importante você saber que a sua locomoção é um pouco ruim. Isso porque as rodas não são tão boas para movimentar o equipamento pelo canteiro de obras, tendo que, quase sempre, ficar fixa em apenas um local.

O jeito é fazer pequenas adaptações de acordo com a necessidade, mas no geral, o recomendado é deixar a betoneira em um local estratégico para evitar locomoção em excesso.

Elas também se dividem em:

  • Fixa: é o modelo mais conhecido no Brasil, é equipada com um motor para que a mistura fique totalmente homogênea.
  • Móvel: é composta pelos elementos de deslocamentos descrito acima. Esse modelo é conhecido como “caminhão betoneira”.
  • Automática: é movida por um motor e equipada com esteiras rolantes previamente sincronizadas.
  • Semifixa: segue a mesma descrição das fixas, mas possuem rodas para sua locomoção.

 

Capacidade das betoneiras

A capacidade de uma betoneira varia de acordo com a necessidade da construção. Há os pequenos modelos equipados com misturadores semiautomáticos, que suportam cerca de 10kg ou 10 litros de concreto.

Já que as betoneiras são medidas em litros em alguns locais, usa-se normalmente na construção civil como medida de capacidade, a cubagem. Há modelos com uma maior capacidade, mas eles são utilizados em casos bem específicos na construção civil.

Leia também:  Qual a diferença entre Cimento e Concreto? 

Quando alugar ou comprar uma betoneira?

Se você está construindo, essa dúvida pode surgir. Mas a verdade é que, ao menos que você pretenda trabalhar com isso, não há necessidade alguma de comprar uma betoneira.

A única observação a ser feita é que, se a construção for muito longa, pode compensar a compra de uma. A melhor forma de decidir isso, é verificando o valor do aluguel na sua cidade e somar as diárias/quinzenas de acordo com o tempo que você precisará. Depois é só pesquisar o valor de uma betoneira e observar o que sai mais barato.

Uma dica é comprar betoneiras usadas. Elas, geralmente, possuem uma ótima qualidade e são mais baratas. No término da construção você poderá revender para não ficar com o equipamento parado.

 

Gostou de aprender sobre as betoneiras? Não deixe de ler outros artigos que temos sobre construção civil.

Entrevista com o Técnico da Concrenorte: veja aqui

 

Outras Publicações

Churrasqueira Pré-moldada Concrenorte

CHURRASQUEIRA PRÉ-MOLDADA

Manual Gratuito da Churrasqueira Pré-Moldada Concrenorte

CURRAL PRÉ-MOLDADO

Guia Gratuito do Curral Pré-Moldado Funcional Concrenorte

ESTRUTURAS PRÉ-MOLDADAS

Guia Gratuito Estruturas Pré-Moldadas Concrenorte

e-book pisos intertravados - Concrenorte Pré-Moldados

PISO INTERTRAVADO

Guia Gratuito e Completo do Piso Intertravado Concrenorte

×